Lei Municipal, Nº 570 DE 31.08.1966

Letra de José Rúbio Morales

Música de Tobias Júnior

SOMOS NÓS, CHAVANTENSES, HERDEIROS
DE LIBERTO E GLORIOSO PORVIR
QUE OS GESTOS DE NOBRES OBREIROS
ENSINARAM-NOS A CONSTRUIR.

TRADUZINDO UM PASSADO VIRIL,
DE LABUTAS ATROZES, RENHIDAS,
NOSSOS PAIS, COM VALOR VARONIL,
NOS LEGARAM, AQUI, NOSSAS VIDAS.

Estrofes que exprimem para o autor, a felicidade de ser chavantense ao poder intuir um futuro livre e glorioso para o Município e seu povo, assegurado pelo exemplo tomado de homens dignos, de livres iniciativas e operários por excelência na construção de um Chavantes rico e forte, desde um passado de lutas atrozes, renhidas, até um presente sempre mais próspero e em cada chavantense sente a magnífica razão de sua existência neste feliz torrão.

FOSTE TU, OH! CHAVANTES AMADO,
DA FAMÍLIA TAPUYA, NAÇÃO
QUE À HISTÓRIA DE NOBRE PASSADO
TRANSFORMOU EM SUBLIME ORAÇÃO.

O autor evoca, como em sublime oração, a história de um passado nobre pela qual é revelada a existência dos Xavantes, (*palavra que até 1945 era escrita com CH: Chavantes) nação indígena da família tapuia, daí provindo o nome de sua terra.

DO BRASIL, TU ÉS FORTE ESTEIO,
MEU CHAVANTES, REPLETO DE AMOR;
DAS RIQUEZAS QUE TENS EM TEU SEIO,
JÁ NOS FALAM TEUS CAMPOS EM FLOR.

O autor considera a fertilidade do solo e sua prodigiosa capacidade produtiva, tanto do que, essencialmente constituem os meios de subsistência do povo do município, como, principalmente do que tem sido até os dias atuais, a origem de sua real riqueza - o café - produto que encontrando aqui o seu verdadeiro “habitat” como fonte de divisas para o país, tornou efetivamente o município “um forte esteio da nação”. Para ter-se conhecimento da vital potencialidade do município, basta tão somente atentar-se para sua extensão sempre verde e florida.

SOMOS NÓS, CHAVANTENSES, UM POVO
QUE NASCEU E CRESCEU JUNTO À CRUZ,
EM QUE A FÉ VIVIFICA DE NOVO,
SEMPRE E SEMPRE O AMOR DE JESUS.

ARQUITETOS DE DEUS QUE SENTIRAM,
DESTA TERRA, O VIGOR JUVENIL,
UM PEDAÇO DE CÉU CONSTRUÍRAM
NESTE CANTO DO RICO BRASIL!

O autor, apoteoticamente, revela a identidade cristã do seu povo, que, nascendo e vivendo junto à cruz, sente sempre a revelação do amor de Jesus, e ao final, que homens vanguardeiros na construção do município, tais “arquitetos de Deus”, sentindo a robustez do solo “neste canto de rico Brasil”, nele realizaram a obra magnífica que é o seu município: “um pedaço de céu”.

Apoio: Museu Histórico de Chavantes